Retrospectiva: Encontro Nacional do Judiciário apresentou balanço das metas definidas para a JF

Evento que teve a presença da presidência do CJF divulgou as metas da Justiça para 2018

O XI Encontro Nacional do Judiciário reuniu autoridades, em Brasília, nos dias 20 e 21 de novembro, com objetivo de avaliar o andamento das metas estabelecidas em 2017 para todo o Poder Judiciário, além de estabelecer as metas para 2018. A presidente do Conselho da Justiça Federal (CJF), ministra Laurita Vaz, esteve presente e falou do cumprimento das metas estratégicas pela Justiça Federal em 2017. Segundo ela, das oito metas estabelecidas para a Justiça Federal em 2017, seis tiveram resultados superiores ao ano anterior.

Laurita Vaz destacou que os números da Justiça Federal evidenciam que o órgão “está trilhando com determinação seu caminho, estruturado numa gestão cada vez mais profissional e eficiente”. Entre as medidas para garantir o cumprimento das metas e agilizar a tramitação dos mais de três milhões de processos distribuídos todos os anos, a presidente do CJF destacou parcerias com outras instituições, a exemplo da Previdência Social, Advocacia-Geral da União e Tribunal de Contas da União, e projetos inovadores como o Centro de Inteligência da Justiça Federal, que visa gerir demandas repetitivas, principalmente aquelas envolvendo grandes litigantes.

De acordo com a ministra, as restrições orçamentárias não podem impedir a busca de magistrados e servidores por uma prestação de serviços eficiente e cada vez mais à altura da expectativa da população. No entanto, ressaltou que, mesmo com todos os esforços despendidos, devido à automação crescente de procedimentos e à disseminação dos processos eletrônicos, a celeridade do Poder Judiciário depende também de investimentos em recursos tecnológicos. “É imprescindível chamar a atenção para a escassez dramática de pessoal especializado em Tecnologia da Informação na Justiça Federal, que há anos não é contemplada com a criação de mais cargos”.

Metas
Ao final do XI Encontro Nacional do Poder Judiciário, foram divulgadas as Metas Nacionais do Poder Judiciário para 2018. Seis delas nacionais e comuns a todos os segmentos do Judiciário: julgar mais processos do que os distribuídos; julgar processos mais antigos; aumentar os casos solucionados por conciliação; priorizar o julgamento dos processos relativos à corrupção e à improbidade administrativa; impulsionar processos à execução; e priorizar o julgamento das ações coletivas.

A Justiça Federal terá mais três metas a cumprir: julgar e dar baixa de processos criminais em número maior que os distribuídos; priorizar o julgamento de casos relativos a crimes de exploração sexual, trabalho escravo e tráfico de pessoas; e gestão de custos, por meio da garantia da implementação de planos sustentáveis em todas as unidades.

Fonte: CJF

 

<< Voltar