Perícias médicas judiciárias: agendamento pelo e-Proc garante melhoria no gerenciamento do trabalho e no atendimento ao cidadão

Perícias médicas judiciárias: agendamento pelo e-Proc garante melhoria no gerenciamento do trabalho e no atendimento ao cidadão
Perícias médicas judiciárias: agendamento pelo e-Proc garante melhoria no gerenciamento do trabalho e no atendimento ao cidadão

Com o objetivo de melhor gerenciar o agendamento das perícias médicas judiciárias e os espaços físicos da Justiça Federal onde são realizados os exames, todas as perícias passaram a ser marcadas, diretamente pelas varas, pelo sistema e-Proc.  A medida vai garantir atendimento mais organizado e seguro ao jurisdicionado nas salas de perícia.

O e-Proc é hoje o principal sistema processual digital da 2ª Região, abrangendo mais de 90% dos processos em trâmite. A previsão é que até agosto a migração dos processos ainda ativos no sistema Apolo seja concluída para o novo sistema. 

A vice-diretora do Foro da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, juíza federal Marcella Brandão, explica que definir rotinas para esse agendamento pode garantir uma organização mais adequada do trabalho e, consequentemente, uma melhoria no atendimento. “Essa mudança permite planejamento e uma melhor utilização de tempo e recursos. Com a marcação pelo sistema e-Proc, será possível prestar um atendimento mais adequado nas salas de perícias. Quando cada unidade faz sua própria agenda fora do sistema, pode acontecer de o perito ou o periciado chegar e a sala não estar disponível, por exemplo, já que precisamos manter uma logística que leve em conta esse período de pandemia, onde devemos evitar aglomerações e seguir as medidas sanitárias de proteção contra a Covid-19”, explicou.

A novidade traz benefícios para as pessoas e setores envolvidos no agendamento de perícias. De acordo com Eunice Barbosa, supervisora da Seção de Inteligência Judiciária da SJRJ, a mudança garante otimização e qualidade ao trabalho, reduzindo a possibilidade de erros. “A partir de agora, as unidades judiciárias podem gerenciar melhor os processos, já que o sistema oferece várias possibilidades de relatórios. Dessa forma, a chance de uma parte chegar e não encontrar seu nome na lista de atendimento do dia é reduzida a zero. Isso garante tranquilidade e segurança para todos”, afirmou.

Na opinião de Monique Carbonel, diretora da Subsecretaria de Gestão Estratégica da SJRJ, os benefícios afetarão o processo de trabalho como um todo. “O novo formato possibilita a construção de indicadores para uma gestão efetiva das perícias médicas, garantindo o amplo acesso à justiça, bem como a assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos”, esclareceu.

As perícias médicas fazem parte do rol de atividades da Justiça consideradas essenciais e que, portanto, continuam funcionando de forma presencial e em esquema especial de atendimento, previamente agendado, no Fórum desembargadora federal Marilena Franco e nas Subseções Judiciárias.

 

*Com informações do TRF2

 

<< Voltar