Presidente do STJ visita a sede do TRF2

A partir da esquerda: Alcides Martins, Osair Victor de Oliveira Junior, Luiz Antonio Soares e Humberto Martins

Ministro Humberto Martins recebe informações sobre medidas administrativas e produtividade do TRF2:  mais de 13 milhões de atos judiciais em menos de nove meses

 

O Tribunal Regional Federal – 2ª Região (TRF2) recebeu na quinta-feira, 4/12, a visita do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Conselho da Justiça Federal (CJF), ministro Humberto Martins. Ele foi recepcionado pelo presidente do TRF2, desembargador federal Reis Friede, em seu gabinete. Também prestigiaram a visita os desembargadores federais Luiz Antonio Soares e Alcides Martins e o diretor do Foro da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, juiz federal Osair Victor de Oliveira Junior.

 

O ministro foi ao TRF sediado no Rio de Janeiro acompanhado do juiz auxiliar da Presidência do STJ, Alexandre Chini, e do assessor técnico também da Presidência da Corte superior, general Ajax Porto Pinheiro. Na ocasião, Reis Friede e Humberto Martins conversaram sobre as várias medidas adotadas pelo Regional para seguir prestando uma jurisdição acessível, com qualidade e rapidez, mesmo com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

 

Em março, o TRF2 entrou em regime de teletrabalho, com atendimento a advogados e sessões de julgamento sendo realizados por videoconferência. Além disso, o órgão preparou uma sala em sua sede, seguindo todas as recomendações de segurança das autoridades sanitárias, para a realização de audiências presenciais, quando necessário. Com isso, desde o início do regime de trabalho remoto, o Tribunal e as Seções Judiciárias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo realizaram, juntos, mais de 13 milhões de atos judiciais, incluindo sentenças, decisões interlocutórias, despachos e atos cumpridos por servidores.

 

Ainda durante a visita, o ministro ressaltou a importância da produtividade do Judiciário, em especial por conta do aumento das demandas que é esperado com a crise humanitária que o Brasil e o mundo vêm atravessando desde o princípio do ano: “O jurisdicionado espera resultados. O foco deve estar na produtividade e na qualidade. Também é importante investir cada vez mais na conciliação e na mediação, pela resposta rápida que elas trazem”, defendeu.

 

Por fim, o desembargador Reis Friede levou a comitiva para conhecer as adaptações feitas na sala de representação do STJ e em outras instalações do prédio, incluindo a sala do Plenário, que agora conta, dentre outros itens de segurança, com divisórias de acrílico separando os assentos dos magistrados.

 

 

<< Voltar