CCJF tem exposição in memoriam de desembargadores do TRF2 e obras da coleção da desembargadora federal Salete Maccalóz

Os magistrados federais Cristiane Chmatalik (diretora do Foro da JFES), Sandra Meirim Chalu Barbosa, Ricarlos Almagro e Helena Elias Pinto (diretora do Foro da JFRJ) em evento no CCJF
Os magistrados federais Cristiane Chmatalik (diretora do Foro da JFES), Sandra Meirim Chalu Barbosa, Ricarlos Almagro e Helena Elias Pinto (diretora do Foro da JFRJ) em evento no CCJF

Em uma comovente cerimônia realizada na quinta-feira, 7 de dezembro, o Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) inaugurou exposição permanente que homenageia in memoriam os desembargadores federais Romario Rangel, Chalu Barbosa, Ney Valadares, Celso Passos, Ricardo Regueira, Marilena Franco, Francisco Pizzolante, Tanyra Vargas e Salete Maccalóz.

A solenidade, prestigiada por grande número de autoridades, familiares e amigos dos homenageados foi conduzida pelo diretor-geral do CCJF, desembargador federal Reis Friede. Na ocasião, ele destacou que a iniciativa de montar a exposição foi imediatamente abraçada pelo presidente do TRF2, desembargador federal André Fontes. Reis Friede afirmou que o seu objetivo é louvar e preservar a lembrança dos magistrados que, defendeu, “tanto se dedicaram à causa da cidadania e da construção de um Poder Judiciário forte”.

O diretor-geral do CCJF ainda afirmou sua “felicidade de ter convivido com as personalidades que compõem esta exposição” e que pôde observar de perto o “empenho, a dedicação e a coragem desses grandes juízes, em seu trabalho pelo povo brasileiro”.

A exposição é constituída por painéis que registram imagens e fatos biográficos dos homenageados. Além disso, as salas de exposição do CCJF agora ostentam placas com os nomes dos nove desembargadores federais falecidos.

Logo após a abertura do evento, os convidados se dirigiram para a Biblioteca do CCJF, onde foi inaugurada uma seção com parte do acervo de livros, revistas e mídias audiovisuais da desembargadora federal Salete Maccalóz. Ao todo, a coleção que ficará disponível para acesso público contém cerca de dois mil filmes em DVD e trezentos volumes de obras impressas, com destaque para livros sobre a história do Rio de Janeiro e clássicos de histórias em quadrinhos.

O material foi doado pela família da magistrada falecida em fevereiro de 2017. O descerramento da fita inaugural da seção foi feita pelo sobrinho da desembargadora, o advogado Saulo Maccalóz. Todos os títulos do acervo estão disponíveis para consulta na Biblioteca e pesquisa em seu catálogo eletrônico, através do sítio do CCJF    http://www7.trf2.jus.br/sophia_web_ccjf/

 

<< Voltar